terça-feira, maio 24, 2016

PELA NOITE, COM ADELAIDE MONTEIRO: "O POEMA INACABADO"





O POEMA INACABADO


Tento segurar  o poema inacabado
e agarro-me às silvas,
ainda que saiba que as mãos ficarão rasgadas
e as pernas trémulas do medo
da fragilidade das hastes
perante o meu peso.
Procuro numa mirada rápida um arbusto
que me sugira ser mais robusto,
mas nada vejo.
Penso: Terá que ser o silvado
a livrar-me da queda
no chão rochoso do despenhadeiro.
Assim,
tomo-o como um amigo verdadeiro,
aperto  com força
e ele
tudo faz para me manter o brilho na voz,
a lua no olhar
e, nas mãos
o poema continuará
por acabar.


ADELAIDE MONTEIRO



2 comentários:

Ana Nunes da mata maio Ribeir disse...

Linnnnndo!!! Boa noite!!

olharbiju disse...

Magnífico.
Beijinho
Alice F.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...