sexta-feira, dezembro 28, 2012

FELIZ 2013!








Mais um ano termina. 2012, ano em que "Preto, Branco, E..." festejou o seu segundo aniversário. A esperança do cumprimento dos objetivos propostos: lazer, algum gozo intelectual e sobretudo a partilha, fica. Com ela,  o meu agradecimento pela atenção que sempre me dispensaram os amigos de todas as redes sociais a que este blogue se encontra ligado, com um carinho especial para os seus Seguidores.

Para todos, sem exceção,

FELIZ 2013!






quarta-feira, dezembro 26, 2012

MAIS UM HERÓI DO SILÊNCIO - Monsenhor Joaquim Carreira (1908-1981), o padre de quem só agora se fala...









Sacerdote de corpo inteiro, ao serviço de Deus, da Igreja e dos perseguidos.
Foi apóstolo do bem, na guerra e na paz.




Em plena Segunda Guerra Mundial, Monsenhor Joaquim Carreira era Reitor do Pontifício Colégio Português em Roma. Foi lá que acolheu centenas de Judeus e Cristãos fugidos do regime Nazi. Passados 60 anos, a Diocese de Leiria teve oportunidade e decidiu homenagear este sacerdote da terra, numa cerimónia de transladação dos seus restos mortais para um lugar de destaque no cemitério dos Soutos da Caranguejeira, sua terra natal.

Placa do Colégio Pontifício Português, Roma

Enquanto alguns se aproveitam dos seus cargos para servirem os seus próprios interesses, este sacerdote fez da sua condição de Reitor do Colégio Português um meio para abrigar quem estava a precisar, mesmo que, para tal, Monsenhor Joaquim Carreira tivesse "corrido" enormes riscos.

Sobre este comportamento, há múltiplas cartas que o testemunham. Um dos refugiados, ex-coronel de infantaria, que classifica o Colégio Português como "o coração português na Itália", escreve: 

SS Pio XII, Eugenio Pacelli


"Eramos 42...e 42 párias da sociedade no período compreendido entre setembro de 1943 e junho de 1944...Estudantes universitários cheios de esperança e de ideal por uma nova Itália democrática. Soldados que cumpriam o seu dever e não podiam juntar-se à própria família. Homens políticos de pequena e grande nomeada que aguardavam o seu turno de serviço. Hebreus torturados por causa das leis raciais e das riquezas escondidas que podiam tornar-se presa fácil para os Alemães e Fascistas. Eramos uma pequena multidão de ambiciosos, inquietos e apaixonados, de idealistas que passaram nove meses protegidos pelo Colégio Pontifício Português. As nossas ânsias, eram as ânsias do diligente e zeloso Reitor Monsenhor Carreira".

Um outro, ressalta como todos os refugiados puderam "experimentar a bondade e altruísmo do Reitor, que, com verdadeira caridade cristã e nobre generosidade, desafiou as ferozes leis da guerra alemãs e fascistas, para ajudar aqueles que, como nós, se encontravam e expostos ao perigo".

Colégio Pontifício Português em Roma

O lançamento da sua biografia e uma sessão sobre o seu acolhimento a judeus e outros perseguidos em Roma, durante os anos de 1943 e 1944, assinalaram a celebração do centenário do nascimento de Monsenhor Joaquim Carreira. 

Trata-se de um livro volumoso com fotografias e documentos que nos permitem conhecer a  grandeza da vida e da ação deste sacerdote natural da Caranguejeira, agora comparado com o cônsul de Bordéus Aristides de Sousa Mendes, pela suas condutas tão similares. Biografia compilada pelo seu sobrinho, o padre Joaquim Carreira das Neves testemunhou o seu convívio com Monsenhor Carreira e toda a sua tentativa feita para ouvir do próprio tio o relato da obra que realizou. Ao que Monsenhor Carreira lhe  respondeu: "Essas coisas não se dizem, fazem-se".

Num período em que a Igreja Católica foi fortemente criticada pela nebulosidade do seu comportamento, durante a Segunda Guerra Mundial e em pleno pontificado do Papa Pio XII, Eugenio Pacelli, os arquivos do Vaticano, senhores da informação mais secreta, fecharam-se por completo a qualquer tipo de informação. A investigação deste período ainda hoje surge envolta no mistério deste secretismo. Não foi fácil a recolha de toda a informação e testemunhos comprovativos que permitiram esta biografia.

Adolf Hitler comandando as suas tropas nazis.



Monsenhor Joaquim Carreira foi o primeiro padre português com carta de aviador.

Foi também o primeiro a criar uma rádio local. Este sacerdote da diocese de Leiria-Fátima nasceu na freguesia da  Caranguejeira e voltou à Cidade Eterna, onde viveu grande parte da sua vida, como Reitor do Colégio Português e consultor eclesiástico na Embaixada de Portugal junto da Santa Sé.

Faleceu em 1981, na capital italiana. Os seus restos mortais repousam no cemitério dos Soutos, Caranguejeira.



O seu amor a Nossa Senhora, por quem se confessava "doido", levou-o a pedir-lhe que o levasse num dia de festividade sua. E ela fez-lhe a vontade...


Tropas nazis da Segunda Guerra Mundial









segunda-feira, dezembro 17, 2012

OS MISERÁVEIS - Mais um sério candidato aos "Oscares 2012"











Os Miseráveis é uma adaptação para o cinema da aclamada peça com o mesmo nome, vista por mais de 60 milhões de espectadores em 42 países, traduzida para 21 línguas e alcançando recordes de bilheteira em todo o mundo no seu 27.º aniversário. Liderada por Tom Hooper, vencedor do "Oscar de Melhor Realizador" com O Discurso do Rei, a produção Working Title/Cameron Mackintosh, é protagonizada por Hugh Jackman, Russell Crowe, Anne Hathaway, Amanda Seyfried, Helena Bonham Carter e Sacha Baron Cohen, além de outros.

   1- Russell Crowe                             2- Hugh Jackman                          3- Anne Hathaway                              4- Amanda Seyfried

Com a França do século XIX  em plena Revolução Francesa como cenário, Os Miseráveis conta uma apaixonante história de sonhos desfeitos, de um amor não correspondido, paixão, sacrifício e redenção, num testemunho intemporal da sobrevivência do espírito humano. Jackman interpreta um ex-prisioneiro, Jean Valjean, ladrão acusado de roubar um pão para alimentar a sua irmã mais nova e que, ao mudar de identidade para tentar escapar, passa a cuidar de uma fábrica que contrata a operária Fantine (Anne Hathaway).

Perseguido durante décadas pelo cruel polícia Javert (Russell Crowe), por ter quebrado a sua liberdade condicional, Valjean aceita cuidar de Colette, a filha da operária Fantine. Então, as suas vidas mudarão para sempre.

Cenas de "Os Miseráveis"

Baseado no conto épico de Victor Hugo, Tom Hooper transporta para o grande écrã a sua interpretação espetacular do musical que se mantem em cena há mais tempo  em todo o mundo. 

Com estrelas internacionais e grandes temas, nomeadamente "I Dreamed a Dream", "Bring Him Home", "One Day More" e "On My Own", Os Miseráveis, o show dos shows, renasce agora como uma experiência cinematográfica arrebatadora.


Cena  do filme "Os Miseráveis"


FICHA TÉCNICA:

OS MISERÁVEIS (2012):

Realização: Tom Hooper
Argumento: William Nicholson (Argumento), Victor Hugo (Romance), Alain Boublil (Livreto), Herbert Kretzmer (Canções).
Género: Drama/Musical
Origem: Reino Unido 
Estreia: 1 de fevereiro de 2013

ELENCO:
  • Anne Hathaway - Fantine
  • Hugh Jackman - Jean Valjean
  • Russell Crowe - Inspetor Javert
  • Amanda Seyfried - Cosette
  • Helena Bonham Carter - Madame Thénardier
  • Sacha Baron Cohen - Monsieur Thénardier
  • Eddie Redmayne - Marius
  • Samantha Barks -  Éponine
  • Aaron Tveit - Enjolras
  • Isabelle Allen - Cosette jovem
  • Colm Wilkinson - Bispo









quarta-feira, dezembro 12, 2012

NOBEL DA PAZ 2012 - Para uma Europa Dividida... E a Duas Velocidades














A União Europeia (UE), dividida e atingida pela crise económica, nesta segunda feira recebeu em Oslo o Prémio Nobel da Paz por ter contribuído para transformar "um continente em guerra num continente em paz". 

Líderes europeus na cerimónia da entrega do Nobel da Paz 2012 à UE, em Oslo

O evento contou com a presença de quase 20 chefes de estado e de governo, entre eles o presidente francês François Hollande e a chanceler alemã Angela Merkel, e o primeiro ministro português Pedro Passos Coelho. De sublinhar a ausência do chefe do governo britânico, o conservador eurocético David Cameron, que se fez representar pelo número dois da coligação que governa o Rei Unido, o liberal-democrata europeísta Nick Clegg.

Herman Van Rompuy, Durão Barroso e Martin Schulz recebem o Nobel da Paz
O norueguês Jagland, conhecido pelo seu europeísmo num país tradicionalmente céptico para com o bloco, entregou o  Prémio Nobel aos representantes das três principais instituições da UE, os presidentes do Conselho (Herman Van Rompuy), da Comissão (José Manuel Barroso) e do Parlamento (Martin Schulz). No seu discurso, introduziu simbolicamente palavras de outros idiomas, para ilustrar a diversidade europeia.

"Não estamos hoje aqui reunidos com a convicção de que a UE é perfeita. Mas temos a convicção de que temos que resolver os nossos problemas juntos. Juntos temos que fazer todo o possível para não perder o que construímos sobre a ruína de duas guerras mundiais" declarou Jagland, lembrando que "80 milhões de pessoas" foram vítimas do extremismo no passado.

Ativistas percorrem as ruas de Oslo, protestando contra a entrega do Prémio Nobel à UE.

Pedindo à UE  que "siga adiante" apesar da crise, acrescentou ainda: "Conservar o que se conseguiu até agora e melhorar o que foi criado para resolver os problemas que ameaçam hoje a comunidade europeia é a única maneira de solucionar os problemas da crise financeira".

Foi envolto num clima de polémica que o trio dirigente da União Europeia chegou à Noruega, para a cerimónia da entrega do Prémio Nobel da Paz.

"Viemos a Oslo celebrar um acontecimento importante - a transformação da Europa de um continente de guerra num continente de paz - que ocorreu num momento que foi crucial. Cinco anos apenas após o final da Segunda Guerra Mundial, dois países rivais decidiram mudar o rumo da história e passar de inimigos a parceiros", afirmou Herman Van Rompuy. 

Protestos nas ruas de Oslo

A atribuição do galardão da Paz à UE não foi consensual e no domingo à noite, centenas de pessoas saíram para as ruas de Oslo, em vibrantes protestos.

Na capital norueguesa fala-se da União Europeia como algo de impessoal, que designam por"eles". "Eles vendem armas, não são democráticos, tratam mal o povo grego. É um desastre", exprimiram-se os manifestantes. Uma jovem reiterou: "Estou completamente contra a forma como eles estão a lidar com a crise financeira. Não consigo aceitá-la e estou muito, muito furiosa por terem ganho o Nobel da Paz. É como uma bofetada na cara de todos os que estão a sofrer, na Grécia".

Edifício do Parlamento Europeu em Estrasburgo, decorado com o slogan
"Your Peace,Your Prize, Nobel 2012"

Como resposta às críticas de alguns países que integram a UE estarem entre os maiores fornecedores de armas do mundo, a União Europeia decidiu juntar o milhão de euros do prémio Nobel e aplicar este dinheiro em projetos que lidem com crianças em zonas de guerra.

Mas qual será a resposta da UE, para a sua desigualdade de critérios que aplica aos diversos países nela integrados, e que claramente está a tornar a Europa numa Europa a duas velocidades? A Grécia sofre, e com ela todos os países  condenados a uma austeridade voraz e devastadora, sem crescimento à vista e largamente contributiva para o enriquecimento de países autênticos "predadores". 

Banda portuguesa os "Orquestrada", que atuou em Oslo

Sem esperança ,  que não seja um abismo cada vez  maior, breve só restarão os pobres,  e os muito ricos, estes nos países ricos, evidentemente. Para quando a mudança , medidas
atempadamente
racionais? Para quando o entendimento no seio da própria UE?

Mas na passada segunda feira foi também a primeira vez que se ouviu cantar em português na cerimónia da entrega do Nobel da Paz, na Câmara Municipal de Oslo. 

Na celebração dos dez anos de carreira, a banda "Os Oquestrada" actuou  não só nesta cerimónia, como voltou a fazê-lo na terça feira no concerto do Spektrum Arena de Oslo. O grupo interpretou o tema "Qualquer Coisa Que Me Anima", de Alfredo Marceneiro e presente no único disco editado pela banda.











domingo, dezembro 09, 2012

THE HOBBIT: UMA JORNADA INESPERADA - Como Tudo Começou...











The Hobbit é uma trilogia de fantasia épica sob a forma de três filmes de aventura e a Warner Bros. já anunciou as datas de lançamento de todos os três filmes.Todos os três filmes são produções da "New Line Cinema, Pictures, Metro-Goldwyn-Mayer". Toda a trilogia Hobbit é produzida em cenas da Alta Definição de 3D, outros formatos 3D e IMAX, no Stone Street Studios, Wellington, e em locais da Nova Zelândia.

1- Peter Jackson                                           2-Making.off do Filme                                 3- Guillermo del Toro

O primeiro filme, Hobbit: Uma Jornada Inesperada, é já lançado no próximo dia 14 de dezembro de 2012; o segundo filme: Hobbit: A Desolação de Smaug, chegará aos cinemas em 13 de dezembro de 2013, após sete meses; o último filme: The Hobbit: There and Back Again,  tem o lançamento previsto para 18 de julho de 2014.

Cenas do Filme

Os três filmes, pertencentes aos géneros da fantasia e aventura são realizados e produzidos simultaneamente por Peter Jackson, que também colaborou na escrita do argumento, conjuntamente com Franz Walsh, Philipa Boyens e Guilhermo del Toro, inicialmente também apontado como produtor da triologia.

Esta triologia, The Hobbit, baseia-se no romance de fantasia épica escrito e ilustrado por JRR Tolkien em 1937, 60 anos antes de ter lançado O Senhor dos Anéis, igualmente adaptado ao cinema em três filmes por Peter Jackson e Guillermo del Toro e que valeu um Óscar da Academia a este último, pelo filme Senhor dos Anéis: Retorno do Rei.

Cenas do Filme

Parte do elenco dos artistas que integraram O Senhor dos Anéis, participam igualmente em The Hobbit e os principais são:

 Un Expected Journey:
Martin Freeman - Bilbo Baggins
Ian MacKellen - Gandalf
Elijah Wood - Frodo Baggins
Orlando Bloom - Legolas
Cate Blanchett - Galadriel
Hugo Weaving - Elrond
Christopher Lee - Saruman
Andy Serkis - Gollum/Sméagol,
e outros.

1 e 2- Cenas do Filme                                                                                                     3-Making-off do Filme

A aventura narra a história do percurso do personagem principal Bilbo Bolseiro, que enfrenta uma jornada épica para retomar o Reino de Erebor, terra dos anões, a qual havia muito tinha sido conquistada pelo dragão Smaug. Seduzido em concretizar esta epopeia pelo mago Gandalf, o Cinza, Bilbo encontra-se junto a um grupo de treze anões liderados pelo lendário guerreiro Thorin Escudo-de-Carvalho. Esta aventura irá levá-los a lugares selvagens, passando por terras traiçoeiras repletas de Goblins e Orcs, Wargs mortais e Aranhas Gigantes, Transmorfos e Magos.

Embora o objetivo aponte para o Leste e para o árido da Montanha Solitária, têm primeiro que  vencer o obstáculo que são os túneis dos goblins, onde Bilbo encontra a criatura que vai mudar, para  sempre, a sua vida...Gollum. A sós com Gollum, nas margens de um lago subterrâneo, o despretencioso Bilbo Bolseiro não só descobre a sua profunda astúcia e coragem, que o surpreendem a si próprio, como também consegue apoderar-se do precioso "anel" de Gollum, que possui qualidades e poderes inesperados e muito úteis...Um simples anel de ouro que está ligado ao destino de toda a Terra-Média, de uma maneira que Bilbo nem pode imaginar.

           1 e 2- Making-off do Filme                                                                                        3-O Realizador e Produtor Peter Jackson,
                                                                                                                                     durante o Making-off 

Sobre o tema e enredo dos outros dois filmes, não me parece oportuno desvendar mais... Fica para mais tarde. O Senhor dos Anéis tem um enredo e uma estrutura mais sofisticados, porque segue os percursos de vários personagens, e não o de um só personagem como Bilbo. Tolkien escreveu a história mais tarde, em tons menos bem humorados e introduzindo temas complexos, de ordem moral e filosófica.

Muitas das diferenças temáticas e estilísticas devem-se ao facto de Tolkien ter escrito O Hobbit como uma história para crianças, e O Senhor os Anéis para esse mesmo público, que entretanto cresceu e evoluiu durante os anos que mediaram as publicações das duas obras. Além disso, Tolkien tinha sobre a Terra-Média, o conceito de que esta deveria mudar continuamente, e evoluir de maneira lenta ao longo da sua vida e dos seus escritos.

Cena de The Hobbit: Uma Jornada Inesperada

A expectativa é grande, e há quem considere a estreia de The Hobbit: Uma Jornada Inesperada, no próximo dia 14 deste dezembro, como a estreia do ano...

Cartaz do Filme The Hobbit: Uma Jornada Inesperada
Vamos ver...



"MAKING OFF":

"MAKING OFF":


"TRAILER OFICIAL"




sábado, dezembro 08, 2012

IMACULADA CONCEIÇÃO, PADROEIRA DE PORTUGAL - 8 de Dezembro de 2012














I Leitura do Livro do Génesis



Depois de Adão ter comido do fruto da árvore proibida, o Senhor Deus chamou-o e disse-lhe: «Onde estás?» Ele respondeu: «Ouvi o rumor dos Vossos passos no jardim e tive medo porque estava nu; e então escondi-me.» Disse Deus: «E quem te deu a conhecer que estavas nu? Terias tu comido dessa árvore da qual te proibira de comer?» O homem respondeu: «A mulher que puseste na minha companhia é que me deu dessa árvore e eu comi.» O Senhor Deus perguntou à mulher: «Que fizeste?» E a mulher respondeu: «A serpente enganou-me, e eu comi.» disse então o Senhor à serpente: «Por teres feito semelhante coisa, maldita sejas entre os animais domésticos e todos os selvagens. Hás-de rastejar e comer do pó da terra, todos os dias da tua vida. Estabelecerei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descêndencia e a descêndencia dela. Esta há-de atingir-te na cabeça, e tu a atingirás no calcanhar.» O homem deu à esposa o nome de Eva, por se ter tornado a mãe de todos os homens.

Palavra do Senhor.



Saúdo a Virgem Maria, neste dia tão especial para Portugal.








quinta-feira, dezembro 06, 2012

MORRE OSCAR NIEMEYER (1907-2012), O "POETA E GIGANTE DA CURVA"...









Morreu às 21h55 desta quarta-feira, aos 104 anos, o arquiteto carioca Oscar Niemeyer, no Hospital Samaritano do Rio de Janeiro. Considerado um dos nomes mais influentes da arquitetura moderna mundial, Niemeyer foi responsável pelas principais obras da construção de Brasília, inaugurada em 1960.

Filho de Oscar de Niemeyer Soares e Delfina Ribeiro de Almeida, Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares Filho nasceu em 15 de dezembro de 1907 no bairro de Laranjeiras, Rio de Janeiro. Após uma juventude boémia, Niemeyer concluiu o ensino secundário apenas aos 21 anos, idade com que se casou com Annita Baldo, filha de imigrantes italianos, na época com 18 anos. Com Annita, o arquiteto teve a sua única filha, a expositora de arte  Anna Maria Niemeyer,  falecida em maio de 2012, aos 82 anos.

Após a morte de Annita, em 2004, Niemeyer partiu para um segundo casamento dois anos depois, com a sua secretária, Vera Lúcia Cabreira. Uma das personalidades de maior longevidade do País, o arquiteto deixou cinco netos, treze bisnetos e quatro trinetos.
A vida profissional de Niemeyer teve início um ano depois do casamento com Annita Baldo. Em 1929, começou a trabalhar na tipografia do pai e decidiu retomar os estudos, ingressando na Escola Nacional de Belas Artes,  onde se formou em arquitectura e engenharia em 1934.

Após a formatura, mesmo passando por dificuldades financeiras, Niemeyer decidiu trabalhar sem remuneração no escritório de Lúcio Costa e Carlos Leão, em 1935. Não lhe agradava a arquitetura comercial vigente e viu no escritório uma oportunidade para aprender e praticar uma nova arquitetura. "Não queria, como a maioria dos meus colegas, adaptar-me a essa arquitetura comercial que vemos aí. E apesar das minhas dificuldades financeiras, preferi trabalhar, gratuitamente, no escritório do Lúcio Costa e Carlos Leão, onde esperava encontrar as respostas para as minhas dúvidas de estudante de arquitetura. Era um favor que eles me faziam", disse o arquiteto, numa ocasião.

O primeiro projeto individual de Oscar Niemeyer a ser construído, foi a Obra do Berço, em 1937, no bairro da Lagoa, no Rio de Janeiro. Dois anos depois, o arquiteto viaja com Lúcio Costa para projetar o Pavilhão Brasileiro na Feira Mundial de Nova York, nos Estados Unidos.

Após a eleição de Juscelino Kubstchek à Presidência da República, Niemeyer é convidado a projetar Brasília, a nova capital federal. Em 1957, o arquiteto abre um concurso público para o plano piloto da cidade. O projeto vencedor é o apresentado por Lúcio Costa. Niemeyer seria responsável pelos projetos dos edifícios, enquanto seu amigo e ex-patrão desenvolveria o projeto urbanístico da cidade. Inaugurada em 1960, Brasília representou o maior desafio da carreira de Niemeyer e é lembrada, até hoje, como seu grande legado arquitetónico.

Ao longo de sua vida, Niemeyer foi sempre um grande defensor dos ideais da revolução soviética. Em 1945, conheceu Luís Carlos Prestes e filiou-se ao Partido Comunista Brasileiro (PCB). O arquiteto chegou a emprestar a Prestes seu escritório para ser utilizado como sede do partido. Niemeyer fez diversas visitas à União Soviética e a Cuba, e foi amigo pessoal de muitos ícones socialistas, entre eles o líder da revolução cubana, Fidel Castro. "Niemeyer e eu somos os últimos comunistas deste planeta", teria dito Fidel.
Impedido de trabalhar no Brasil, pela seus ideais políticos, Niemeyer decide exilar-se voluntariamente em Paris, França. Abre um escritório na famosa avenida Champs-Élysées.

Niemeyer foi indicado para fazer parte da equipe de arquitetos mundiais que viria a desenvolver a sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. O projeto do brasileiro foi elaborado em conjunto com o arquiteto francês Le Corbusier.
Em 1950, o primeiro livro sobre seu trabalho (The Work of Oscar Niemeyer, de Stamo Papadaki) foi publicado nos Estados Unidos. Em 1951, Niemeyer criou o Conjunto do Ibirapuera (um parque com pavilhões de exposições em homenagem ao aniversário de 400 anos da cidade) e o edifício Copan, em São Paulo. O prédio, que fica num dos pontos mais movimentados do centro da capital paulista, tornou-se um dos símbolos da cidade.
Durante o período em que morou em França, Niemeyer recebeu  clientes de todo o mundo. Em Itália, ele projetou a sede da Editora Mondadori e, na Argélia, a Universidade de Constantine.

Na década de 1980, Oscar Niemeyer regressa ao Brasil. Nesta época, projeta o Memorial Juscelino Kubitschek, o prédio-sede da Rede Manchete de Televisão, o sambódromo do Rio de Janeiro, o Panteão da Pátria de Brasília e o Memorial da América Latina, em São Paulo.

Em 1987, recebe nos Estados Unidos o Pritzker de Arquitetura, considerado o prémio mais importante do mundo, na categoria. Três anos depois, na companhia do seu amigo Lúcio Costa, Niemeyer desliga-se do Partido Comunista Brasileiro.

Aos 84 anos, em 1991, Oscar Niemeyer projeta o Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC). Os traços modernos do museu fazem a obra  assemelhar-se a um disco voador. Projetado sobre uma pedra, a construção visiona a Baía de Guanabara e o Rio de Janeiro.
Em 2002, é inaugurado em Curitiba o Museu Oscar Niemeyer, conhecido como Museu do Olho, devido ao design de seu edifício. Quatro anos depois, é inaugurado o Museu Nacional Honestino Guimarães, de autoria de Niemeyer, localizado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Em dezembro de 2011, por ocasião de seu 104º aniversário, Niemeyer apresentou os projetos que desenhou para a sede da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), a ser construída em Foz do Iguaçu (PR), junto à fábrica hidroelétrica de Itaipu. A obra inclui seis edifícios destinados à reitoria, biblioteca, anfiteatro, restaurante, laboratórios e salas de aula. A universidade tem capacidade para 10 mil estudantes (metade brasileiros e metade de outros países latino-americanos), e oferecerá cursos nas áreas de ciências humanas, tanto em espanhol como em português.

Após mais de cem anos em boa forma, Niemeyer começou a sofrer de numerosos problemas de saúde, a partir de 2008. O último internamento  ocorreu em 6 de novembro. Ainda no hospital, após apresentar um quadro de melhoras, o arquiteto chegou a sofrer uma hemorragia digestiva , controlada pelos médicos,  e as suas funções renais pioraram.
Oscar Niemeyer último sobrevivente dos grandes mestres da arquitetura do século XX, o poeta da curva, o pensador multifacetado que encantou o mundo com a sinuosidade e a beleza estética de sua prolífica obra, deixou-nos  e o  mundo inteiro ficou bem mais pobre.


"'A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem', dizia Oscar Niemeyer, o grande brasileiro que perdemos hoje. E poucos sonharam tão intensamente e fizeram tantas coisas acontecer como ele", afirmou, numa nota, a presidente  Dilma Rousseff.


Descanse em paz.



quarta-feira, dezembro 05, 2012

FRAGMENTOS DE MÚSICA (Parte II) - Fédéric Chopin (1810-1849)









«...Chopin, génio da Música, irradia
Nos "Prelúdios" sem par, sua grandeza.
Neles, palpita o hausto criador,
Que impulsionou as estrelas, nas alturas,
E diviniza o Homem, pelo amor...»
(Escudero Pires in "Overture")







Frédéric François Chopin também chamado Fryderyk Franciszek Chopin nasceu na aldeia de Zelazowa, Ducado de Varsóvia,  em 1 de março de 1810, filho de mãe polaca e pai francês-expatriado. Teve mais três irmãs, sendo o único filho varão. Não se conhece qualquer certidão do seu nascimento. 

Chopin, tocando no Hotel Lambert, em Paris (Teofil Kwiakowski, 1849-1860)

Foi um pianista polaco radicado em França e compositor para piano da era romântica. É amplamente conhecido como um dos maiores compositores para piano e um dos pianistas mais importantes da história. A sua técnica refinada e a harmonia da sua elaboração são historicamente comparadas com as de outros génios da música, como Beethoven e Mozart, assim como a duração da influência da sua música até aos dias de hoje.


Considerado como uma criança prodígio na sua terra natal, Chopin deixou para sempre a Polónia aos vinte anos de idade. Em Paris fez carreira como intérprete, professor e compositor, e adotou a versão francesa dada ao seu nome, Frédéric-François. De 1837 a 1847 teve uma relação turbulenta com a escritora francesa George-Sand (pseudónimo de Amantine Aurore Lucile Dupin). Sempre com a sua saúde fragilizada, morreu em Paris aos 39 anos, vítima de tuberculose.

1-Justina Chopin, mãe de Chopin                 2.Nikolaj Chopin, pai de Chopin                      3-Maria Wodzinska, noiva de Chopin


Toda a obra de Chopin existente inclui o piano, que assume um papel predominante como instrumento solo, e um pequeno número de obras para vários conjuntos, incluindo um segundo piano, violino, violoncelo, voz e orquestra. As suas obras de que se tem conhecimento atingem o número de 264, consideradas na sua maioria um repertório essencial para piano. Sendo que se admite a perca de alguns manuscritos e partes da sua infância ao longo dos tempos.Na maioria das vezes, a sua música é tecnicamente exigente, mas, no geral, o seu estilo enfatiza mais a dança e a profundidade expressiva do que o virtuosismo técnico. 


Chopin inovou com novas formas musicais, como a balada, e introduziu inovações significativas nas formas existentes, como a piano sonata, a valsa, o noturno, o estudo, o improviso, e o prelúdio. As suas obras são citadas como "os principais pilares" do romantismo na música erudita do século XIX. 


1- Casa onde Chopin nasceu, no Ducado de Varsóvia   2-Casa onde Chopin viveu entre 1817 e 1827     3- Museu Chopin em Varsóvia  

Mas também se inspirou nas fugas e prelúdios de Bach. Além disso, Chopin mostrou-se nacionalista ao misturar na sua música elementos eslavos. Hoje as suas mazurcas e polonesas são fundamentais para a música nacional polaca. Foi a irmã mais velha de Chopin, Ludwika, quem deu as primeiras aulas de piano a Chopin, e posteriormente sua mãe. O talento musical de Chopin imediatamente se evidenciou, começando a ser apelidado como "segundo Mozart". Aos sete anos já era autor de duas polonesas (sol menor e si bemol maior).

O prodígio foi destacado nos jornais de Varsóvia, e o "pequeno Chopin" tornou-se uma atração dos salões da aristocracia da capital. Foi esta a altura em que começou a dar concertos públicos de caridade. E foi com oito anos  que apareceu em público, pela primeira vez, como pianista. Em 2 de novembro de 1830, Chopin deixou Varsóvia para dar concertos na Europa Ocidental. Nunca mais regressou à Polónia. Após digressões por várias cidades europeias, como Munique, Estugarda, chegou a Paris em setembro de 1831, cidade que foi o local de eleição para a sua radicação. 

1- Joahn Sebastien Bach                                     3- George Sand                                             3- Brahms        

No ano de 1836, Chopin tornou-se noivo de uma jovem polaca de 17 anos, Maria Wodzinska, cuja mãe insistiu para que o compromisso fosse mantido em segredo. No ano seguinte, o compromisso foi cancelado pela sua família.

Também neste ano de 1836, numa festa organizada pela condessa Marie Agoult, amante do compositor Franz Liszt, Chopin conheceu Armandine-Aurore-Lucile Dupin, baronesa Dudevant, mais conhecida pelo pseudónimo de George Sand. Foi uma escritora romântica francesa, conhecida pelos seus inúmeros casos amorosos com Mérrimé, Alfred de Musset, o seu secretário Alexandre Manceau e até outros, incluindo a atriz Marie Durval.


1-Retrato de Chopin, conjunto com retrato de George Sand (3), de que Chopin não gostava (Charpentier,1835)
2- Único retrato conhecido de Chopin (Bisson-1849)    

Inicialmente Chopin não se sentiu atraído por ela. "Algo nela me repele", disse a sua família. Mas Sand, profundamente apaixonada por Chopin, procurou todos os meios para conseguir desligar Chopin da sua antiga namorada, Maria Wodzinska. Logo que alcançou os seus objetivos, iniciou aquela que viria a ser a sua turbulenta e polémica relação com Chopin. Relação esta que veio a terminar em 1847, ao fim de dez anos e após diversos problemas familiares, que envolveram a filha de George Sand e o jovem escultor Jean Clesinge.


Por esta altura já a saúde de Chopin se encontrava extremamente debilitada, devido aos invernos frios, tendo tido mesmo que ser tratado em Espanha e aí permanecer por alguns anos. Este foi  um dos períodos mais produtivos da sua vida, em que compôs mais trabalhos. Entre eles conta-se a Polonesa em lá bemol maior, Op.53 "Heróica", uma das suas peças mais famosas.


1-Monumento a Chopin em Varsóvia  2- Pilar da Igreja de Santa Cruz, Varsóvia, em cujo cofre se encontra
o coração de Chopin      3- Túmulo de Chopin em Varsóvia

Em 1948 Chopin deu o seu último concerto em Paris, visitou a Inglaterra e Escócia e, regressando no ano seguinte a França, tornou-se incapaz de ensinar e de se apresentar. Foi a sua irmã Ludwika quem o assistiu e cuidou no apartamento da Praça Vendôme, até à sua morte, que ocorreu no dia 17 de outubro de 1849.

Depois do amanhecer, Clesinger fez a sua máscara fúnebre e o molde das suas mãos. De acordo com a vontade de Chopin e disposições que deixou, o seu coração foi retirado, devido ao medo de ser enterrado vivo. A sua irmã depositou-o numa urna de cristal selada, com congnac, destinada a Varsóvia. O coração permanece, até hoje, lacrado dentro de um pilar da Igreja de Santa Cruz, em Varsóvia, sob uma incrição do Evangelho de São Mateus, 6:21: "onde está o seu tesouro, também estará o seu coração" . Também pediu que durante o seu funeral fosse tocado o "Réquiem" de Mozart.

1- Máscara fúnebre de Chopin                     2- Partitura de "Berceuse"                           3- Molde da mão de Chopin

Curiosamente, o seu coração foi salvo, durante a destruição de Varsóvia pelos nazis em 1944, por um general das SS. Erich von dem Bach-Zelewski.


"Últimos Momentos de Chopin", no leito de morte, 1849-1850


Artur Rubinstein disse sobre a música de Chopin e a sua universalidade:

" Chopin fez uma revolução na música tradicional para piano e criou uma nova arte do teclado. Era um génio do encanto universal. A sua música conquista as mais distintas audiências. Quando as primeiras notas da música de Chopin soam por entre o salão do concerto, há um suspiro feliz, de reconhecimento.Todos os homens e mulheres do mundo conhecem a sua música. Gostam e são tocados por ela. No entanto, não é uma música romântica, no sentido byroniano. Não conta histórias ou quadros pintados. É expressiva e pessoal, mas ainda assim uma arte pura.
Mesmo nesta era atómica abstrata, onde a emoção não está na moda, Chopin perdura. A sua música é a linguagem universal da comunicação humana. Quando eu toco Chopin eu sei que falo diretamente para o coração das pessoas!"


Chopin no salão do Palácio Radzwill








"OCEANO" DE CHOPIN, ESTUDO Op.12 IN C MENOR ( Vladimir Horowitz):

"VALSA BRILHANTE" DE CHOPIN ( Lang-Lang):


"HERÓICA", POLONESA EM LÁ BEMOL MAIOR Op.53, DE CHOPIN (Yundi-Li):




domingo, dezembro 02, 2012

JUSTIÇA EM TIMES SQUARE - O Fim do "Lixo"...







O modelo português Renato Seabra foi condenado em Nova Iorque pelo assassínio confessado do cronista social Carlos Castro, assumido homossexual, em janeiro de 2011, num hotel desta cidade. Localizado em plena Avenida Times Square.

Detenção de Renato Seabra após o crime em Times Square

A decisão dos jurados foi comunicada ao Tribunal depois de mais de seis horas de deliberações, cabendo agora ao juiz ditar a sentença.

Em Nova Iorque desde o início do julgamento, há dois meses, Amélia Castro ouviu há dois dias o veredicto de "culpado" de mãos dadas com uma prima da vítima, que a acompanhou em quase todas as sessões. "Foi muito duro, mas por ele (Carlos Castro) faria qualquer coisa", disse Amélia Castro à saída do tribunal. " Chorei de felicidade. Estou feliz", adiantou emocionada, enquanto tentava contactar uma irmã em Portugal.

Instrumentos utilizados por Reneto Seabra para a concretização do crime.

Amélia Castro afirmou ainda  nunca ter duvidado de que o jovem de 23 anos seria condenado por homicídio em segundo grau. Quanto ao trabalho da procuradora, com quem manteve contactos regulares, Amélia Castro declarou ter sido "belíssimo" e que "não podia ter sido melhor".

A defesa pediu a absolvição, argumentando que os problemas mentais de Seabra diagnosticados pelos psiquiatras que o observaram depois do crime, o impediram de ter consciência do próprio ato cometido. Renato Seabra assistiu à leitura da sentença de cabelo rapado, sentado junto aos seus advogados e vigiado por quatro polícias. Enfrenta agora uma pena mínima de prisão 15 anos a prisão perpétua, e máxima de 25 anos a perpétua.
A leitura da sentença só deverá ter lugar no próximo dia 21 de dezembro, segundo o próprio juiz Daniel Fitzgerald.



É desejável que todo este "lixo" acabe o mais depressa possível, e que a Justiça funcione.








Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...