quarta-feira, dezembro 31, 2014

À NOITINHA, COM MIA COUTO: "CONTOS DO NASCER DA TERRA"






Não é da luz do sol que carecemos. Milenarmente a grande estrela iluminou a terra e, afinal, nós pouco aprendemos a ver. O mundo necessita ser visto sob outra luz: a luz do luar, essa claridade que cai com respeito e delicadeza. Só o luar revela o lado feminino dos seres. Só a lua revela intimidade da nossa morada terrestre.

Necessitamos não nascer do Sol. 
Carecemos do nascer da Terra.


MIA COUTO, 
in "Contos do nascer da terra"




IMAGEM DO DIA, COM PEDRO CHAGAS FREITAS










PELA NOITE, COM MIA COUTO: "CONTOS DO NASCER DA "TERRA"







(...)Manhãzinha seguinte, viram Vivalma sair de casa, canteirando pelo jardim, a encher as mãos com petalazinhas brancas. 
Haveria quê nessas flores alegria de quem se ilude vencer? 
Ou eram pequenitas raivas, desapercebidas como lágrimas em seu rosto molhado? 
Só ela, a matinal vendedeira, sabe do valor dessas minusculinhas naturezas em seus dedos decepados. 
Dizem, finalmente, que sob o véu de seus enegrecidos olhos havia, nessa manhã, uns fiapos de satisfação. 
Poderá ela, alguma vez, ser sabida? Se, como diz nenhuma canção, a água corre cm saudade do que nunca teve: o total, imenso mar.

MIA COUTO
in "Contos do nascer da terra"



terça-feira, dezembro 30, 2014

MENSAGEM E BENÇÃO "URBI ET ORBI" DO PAPA FRANCISCO, NESTE DIA DE NATAL DE 2014, PARA TODO O MUNDO




"Que o Natal lhes leve esperança, como também aos muitos deslocados, refugiados 
e exilados, crianças, adultos, idosos, desta região e de todo o mundo"
(Papa Francisco)



O papa Francisco apelou esta quinta-feira, na tradicional mensagem de Natal, ao fim da “perseguição brutal” e dos massacres e captura de reféns, do Médio Oriente à Nigéria, bem como da violência, tráfico e maus tratos sofridos pelas crianças.

Na sua mensagem “Urbi et Orbi” (à cidade e ao mundo), enfatizando as violências fundamentalistas no mundo, Francisco exigiu o fim da “perseguição brutal” dos “grupos étnicos e religiosos” no Iraque e na Síria e lamentou que “muitas pessoas sejam (feitas) reféns ou assassinadas” na Nigéria.

O papa lamentou ainda que “muitas crianças sejam vítimas de violência e do tráfico”, referindo os que foram mortos recentemente numa escola no Paquistão.

“Peço-lhe, a ele, o Salvador do mundo, para olhar pelos nossos irmãos e irmãs no Iraque e na Síria, que há demasiado tempo sofrem os efeitos de um conflito permanente. (…) Eles que, juntamente com outros que pertencem a outros grupos étnicos e religiosos, estão a sofrer uma perseguição brutal. (…) Que o Natal lhes leve esperança, como também aos muitos deslocados, refugiados e exilados, crianças, adultos, idosos, desta região e de todo o mundo”, disse o Papa.

(Lusa)



FELIZ 2015!






Recordando os principais momentos de 2014 no Youtube 
e as principais pesquisas deste ano no Google, 
PRETO BRANCO E, a todos deseja um novo ano de
 2015 pleno de paz, alegria e muita esperança.








terça-feira, dezembro 23, 2014

MORRE JOE COCKER (1944-2014)








O cantor britânico Joe Cocker morreu nesta segunda-feira aos 70 anos. O músico faleceu após uma dura luta contra um cancro na garganta, segundo o comunicado da Sony Music emissora
Cocker tornou-se famoso em 1969 ao fazer um cover de "With a little help from my friends", dos Beatles, no festival de Woodstock. 

A sua versão para a música liderou os rankings do Reino Unido e também se tornou tema de abertura da série "Anos incríveis", exibida nas décadas de 1980 e 1990.

Nascido em 1944 na cidade de Sheffield, no Reino Unido, Cocker era conhecido pela sua voz rouca e apresentações emotivas. Em mensagem publicada pela BBC, Barry Marshall, agente do músico, disse que Cocker "foi, sem dúvida, a maior voz britânica do rock/soul" e que "será impossível preencher o espaço que ele deixa em nossos corações".

Em 1983, Cocker ganhou um Grammy com "Up where we belong", dueto com a cantora Jennifer Warnes. Também ganhou notoriedade com "You can leave your hat on", banda sonora do filme "Ou tudo ou nada", de 1997, história de um grupo de trabalhadores que decide criar um show de striptease para combater o desemprego.

Um dos primeiros a comentar a morte de Joe Cocker foi justamente Ringo Starr, baterista dos Beatles e intérprete de "With a little help from my friends", de John Lennon e Paul McCartney.

Ringo publicou a seguinte mensagem no Twitter:

"Adeus e Deus abençoe Joe Cocker. De um de seus amigos. Paz e amor. R".












segunda-feira, dezembro 22, 2014

IMAGEM DO DIA,COM SCHOPENHAUER









CRISTIANO RONALDO CONTINUA A SUA CORRIDA NA CONQUISTA DOS MAIORES GALARDÕES DESPORTIVOS DO ANO DE 2014








Internacional e capitão da seleção portuguesa de futebol, Cristiano Ronaldo foi  condecorado pelo Governo da Região Autónoma da Madeira, de onde é natural, e inaugurou também uma estátua em sua homenagem. Na Assembleia Legislativa da Madeira, Ronaldo recebeu o Cordão Autonómico de Distinção, a mais alta condecoração da Região. Já na Praça do Mar, junto ao porto do Funchal, o futebolista do Real Madrid foi perpetuado através de uma estátua.

A vinda de Ronaldo à Madeira  foi iniciativa do Jornal da Madeira, que foi igualmente o promotor do monumento em honra daquele aquele que é considerado o melhor futebolista do mundo.


A estátua foi esculpida pelo escultor madeirense, Ricardo Veloza que confessou não ser um adepto do futebol e, por tal motivo, procurou a colaboração das entidades do universo futebolístico: "Uma posição muito característica do jogador é quando marca livres e fica, com os braços abertos, a olhar para a bola e para a baliza. Foi precisamente nessa posição que fiz a estátua", explicou Ricardo Veloza.

A estátua esculpida em bronze, tem 3,40 metros de altura e pesa 800 quilos e foi executada em 10 dias, no atelier do escultor, em Vila Nova de Gaia.

Por sua vez, a estação televisiva britânica BBC Sports escolheu Cristiano Ronaldo como a personalidade que mais se destacou no ano desportivo de 2014. Na corrida ao galardão estavam o pugilista Floyd Mayweather, a tenista Serena Williams e o piloto de MotoGP Marc Marquéz.


Parabéns a Cristiano Ronaldo, que, ao que parece, tenciona continuar esta “corrida desenfreada” na conquista dos maiores galardões do mundo futebolístico.






domingo, dezembro 21, 2014

UM SANTO E FELIZ NATAL, COM PAPA FRANCISCO E IL DIVO - Boas Festas







"PRETO, BRANCO, E"  DESEJA A TODOS OS SEUS AMIGOS E SEGUIDORES 
DAS DIVERSAS REDES SOCIAIS,
UM SANTO E FELIZ NATAL.


Segundo  o Papa Francisco, quando se sente o desejo de “ser melhor” é “o Senhor que bate à porta” e faz sentir “o desejo de estar mais perto dos outros, de Deus”.
“Se sentes isso, pára. É o Senhor que está aí. Vai rezar, talvez à Confissão, limpar um pouco… isso faz bem. Lembra-te: se sentes esta vontade de melhorar, É ele que bate à porta, não o deixes ir embora”, referiu.
“O dom precioso do Natal é a paz e Cristo é a nossa verdadeira paz. Cristo bate à porta dos nossos corações para dar-nos a paz, a paz de espírito.
 Abramos as portas a Cristo”

Papa Francisco
(in Angelus Domini 2014.12.21)





PELA NOITE, COM O POETA FRASSINO MACHADO: " O DEBATE DA LAPINHA"







O DEBATE DA LAPINHA


Muito perto de Belém
Fica a Casa do lamento
A quem a muitos convém
Dar nome de Parlamento.

Parlamento, pela grei,
É tribuna de verdade
Ali nasce toda a lei
Num berço de raridade.

Os eleitos da Nação
Brilhantíssimos alunos
Assumem digna função
Na qualidade de tribunos.

Em todo e qualquer problema
Da vida da cidadania
Debate-se tema a tema
Na melhor democracia.

Nesta quadra de Natal
O que talvez mais convinha
Era fazer tal e qual
Ao debate da Lapinha.

Falam os progenitores
Que deram vida à criança:
- Ai José, dos meus amores,
Onde puseste a Esperança?

José, de olhos reféns,
Apontou para o Menino:
- Ó Maria, aqui a tens,
É este o nosso destino!

Diz Maria, desolada
Sem cobertores nem pão:
- Ó José, não temos nada,
Qual a melhor solução?

E José, imperturbável
Olhando ao longe a ribeira:
- Temos água admirável,
Palha e leite mesmo à beira.

Respondeu logo o boi bento,
Cheio de brio e enfeite:
- Dou a minha para alimento
E tu, vaca, dás o leite…

Disse o pastor do cajado:
- Já dei ao Menino um beijo
E trago no alforge guardado
Um naco de pão com queijo.

- Junta-te a mim, diz o bento,
Bafejemos a manjedoura
Pro Menino o aquecimento
E um sorriso a cada hora.

Não reza a história dos fracos
E os fortes só vêm riqueza
Mas têm a alma em cacos
E um coração de pobreza.

Em toda a santa Lapinha
A luz do amor renasceu
E num hossana, em ladainha,
A Esperança à terra desceu.

Neste Natal benfazejo
Brilhe na terra mais Luz
Num só e único desejo:
José, Maria e Jesus!


FRASSINO MACHADO
In Canção da Terra




IMAGEM DO DIA, COM MANOEL DE BARROS








quinta-feira, dezembro 18, 2014

OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA ABERTOS A NORMALIZAR RELAÇÕES COM CUBA - Abriram-se as "Algemas da História": EUA e Cuba reatam relações










Os Estados Unidos e Cuba preparam-se para encetar conversações para normalizar as relações entre os dois países, de costas voltadas há 52 anos.

Os presidentes dos Estados Unidos e Cuba, Barack Obama e Raúl Castro, anunciaram esta quarta-feira o início da normalização das relações entre os dois países, cortadas há mais de meio século. Será aberta uma embaixada dos Estados Unidos em Havana, Cuba, pela primeira vez em mais de 50 anos.

Dois cubanos assistem à declaração de Raúl Castro, em Havana. 

O Presidente Obama admitiu que a política de isolamento não resultou com Cuba. Neste dia, "a América liberta-se das algemas da história". “Acredito que podemos fazer mais pelo povo cubano”, disse o Presidente norte-americano numa declaração pública. "Aos cubanos, os Estados Unidos oferecem uma mão amiga", acrescentou.

Obama disse que vai falar com os membros do congresso para anular o embargo comercial, financeiro e económico imposto pelos Estados Unidos a Cuba depois da revolução de 1959 que levou o comunista Fidel Castro ao poder.

Os dois presidentes contaram que falaram pelo telefone na terça-feira para discutir os últimos pontos da libertação de Alan Gross, um americano preso em Cuba há cinco anos, que desencadeou a retoma de conversações entre os dois países. Ambos, discursando simultaneamente durante a tarde desta quarta-feira, agradeceram ao Papa Francisco e ao Vaticano, respectivamente, o seu envolvimento na mediação da troca de prisioneiros que ajudou a desbloquear as relações EUA-Cuba. 
"Devemos aprender a arte de conviver de forma civilizada com as nossas diferenças", disse o Presidente cubano no fim da sua intervenção. Ao povo cubano, Castro prometeu que as negociações aconteceram "sem abrir mão de um único" dos princípios da Revolução Cubana e depois de "grandes perigos, sanções, adversidades e sacrifícios".


O que muda?

As principais mudanças nas relações diplomáticas entre Cuba e os Estados Unidos passam, entre outras medidas, por:

abertura de uma embaixada em Havana

possibilidade de viagem sem restrições entre os países
eliminação de Cuba da lista dos Estados que patrocinam o terrorismo

troca comercial de materiais de construção

possibilidade de as empresas americanas oferecerem os seus serviços a cubanos

permitir serviços de telecomunicação e internet em Cuba

Havana, Cuba.

"Nunca podemos apagar a história entre nós", acautelou Obama, frisando que Cuba ainda tem que melhorar alguns aspectos em termos de reformas económicas e de direitos humanos. Também Raúl Castro reconheceu as diferenças que ainda existem entre os dois países, separados por poucos quilómetros de mar, mas diz estar "disposto" a trabalhar no sentido de melhorar as questões diplomáticas.

Pelo mundo as várias opiniões começaram a fazer-se ouvir. O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, considera as tréguas diplomáticas "muito positivas" e considera que está na altura de os dois países normalizarem as relações.

O Papa Francisco congratula-se com a “histórica decisão dos governos dos Estados Unidos da América e de Cuba em estabelecer relações diplomáticas com o objectivo de, no interesse dos respectivos cidadãos, superar as dificuldades que marcaram a sua história recente”.  Francisco escreveu uma carta ao Presidente de Cuba, Raúl Castro, e outra ao Presidente norte-americano, Barack Obama.  O comunicado da Secretaria de Estado da Santa Sé refere que as cartas convidavam ambos os líderes “a resolver questões humanitárias de interesse comum, entre as quais, a situação de alguns detidos, com vista a desencadear uma nova fase nas relações entre as duas partes”.

Em Outubro, a Santa Sé acolheu no Vaticano delegações dos dois países e “ofereceu os seus bons ofícios para favorecer um diálogo construtivo sobre temas delicados, de onde brotaram soluções satisfatórias para ambas as partes”, diz o texto. “A Santa Sé continuará a assegurar o seu apoio às iniciativas que as duas Nações realizarão para incrementar as relações bilaterais e favorecer o bem-estar dos respectivos cidadãos”.

O Papa Francisco no Vaticano, no dia dos seus anos.

O comunicado não o diz, mas este é o resultado de uma longa e paciente ação da diplomacia vaticana, desencadeada há mais de 15 anos, quando se preparava a visita de João Paulo II em 1998, reforçada com a visita de Bento XVI em 2012 e que no dia do aniversário do Papa Francisco atinge um final feliz.
Agora, e depois de uma troca de prisioneiros entre os dois países, Obama e Raúl Castro agendaram discursos para quarta-feira passada. Espera-se o anúncio de mudanças nas relações entre Cuba e os EUA.

O Vaticano esteve envolvido nas negociações para libertação dos detidos. Já antes, fora com um grande sorriso que o Papa Francisco recebeu e cumprimentou o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, quando da deslocação do presidente americano ao Vaticano. “É tão bom vê-lo”, afirmou Obama, sentado à frente de Francisco. O encontro público durou breves instantes, durante os quais o Papa se limitou a sorrir e a ouvir os cumprimentos do líder do mundo Ocidental. 






PELA NOITE, COM FÁTIMA GUIMARÃES: " AMIGO..."- Poema que dedico ao meu filho, no dia do seu aniversário.






AMIGO


Porque vejo nos teus olhos
sem os ver
Porque sinto a tua presença
sem a ter
Porque me escutas
sem me ouvires
Porque me afagas
sem me tocares
Porque me olhas
sem me ver
Porque derrotas
a minha solidão
Porque me iluminas
quando há escuridão
Porque és
Verdade
Luz
Espelho
Água
Vida
Sorriso
Ponte
Mar
Casa
Porque és
partilha
És
meu amigo.


FÁTIMA GUIMARÃES

(19/12/2014)




terça-feira, dezembro 16, 2014

O YOUTUBE PUBLICA A LISTA DOS SEUS VÍDEOS MAIS ASSISTIDOS EM 2014






Partidas, anúncios de televisão, o primeiro beijo de dois estranhos e Katy Perry são os vídeos mais vistos do ano no Youtube. A plataforma publicou o top 10 dos conteúdos com mais visualizações e criou ainda um canal de revista do ano de 2014.

Os mais vistos:

1. Mutant Giant Spider Dog (SA Wardega), de SA Wardega Um cão vestido de aranha mutante gigante assustou muita gente e o vídeo da partida tem mais de 113 milhões de visualizações. Uma tarântula gigante semeia o terror.

2. Nike Football: Winner Stays. ft. Ronaldo, Neymar Jr., Rooney, Ibrahimovic, Iniesta & more, de Nike Football O vídeo promocional da Nike conta com as participações dos maiores nomes do futebol mundial, como Cristiano Ronaldo, Neymar ou Rooney, e até o Incrível Hulk faz uma breve aparição. 

3. First Kiss, de Tatia PIlieva Dois estranhos a partilharem um beijo antes de se conhecerem. A premissa da realizadora Tatia Pllieva resultou num verdadeiro estudo social.

1. Dark Horse, de  Katy Perry ocupa o primeiro lugar entre os musicais mais assistidos deste ano.










BANHO DE SANGUE EM PESHAWAR- Ataque Terrorista no Paquistão, hoje








Os números ainda não estão confirmados pelas autoridades paquistanesas, mas os últimos dados recolhidos pelas agências noticiosas apontam para as mortes de mais de uma centena de pessoas, entre as quais 82 crianças. Há ainda dezenas de feridos encaminhados para os hospitais, muitos em estado grave.
No interior da escola militar de Peshawar estariam cerca de 500 alunos, quando um grupo de pelo menos cinco ou seis homens armados, disfarçados com uniformes militares, ali entrou. Eram 10h30 (hora local).


De acordo com testemunhas, os taliban avançaram para um auditório onde decorria um treino de primeiros socorros para alunos e começaram a disparar. Os alunos terão tentado fugir para salas de aula, onde também decorriam exames, mas os atacantes começaram a “entrar nas salas, uma a uma, a disparar”, segundo declarou  Mudassir Awan, um funcionário da escola.

As forças militares paquistanesas chegaram rapidamente ao local e iniciaram uma troca de tiros com os atacantes.  O ataque prolongou-se por várias horas. Não se sabe como os homens armados conseguiram entrar numa escola militar.
Os mais recentes relatos do local falam de “pelo menos três explosões” e uma intensa troca de tiros entre atacantes e militares.
Imediatamente reivindicado pelo Movimento Taliban do Paquistão (TTP), o principal grupo rebelde islamita do país, este movimento afirmou ainda que foi a forma de vingar a ofensiva militar Zarb-e-Azb, lançada contra os taliban naquela região e na qual terão sido mortos centenas de combatentes taliban.

Este ataque é um dos mais sangrentos cometidos pelo TTP, um grupo próximo da Al Qaeda, que combate o Governo desde 2007. É também um dos mais fortes simbolicamente, porque ataca os filhos dos soldados e oficiais rivais.

O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, denominou este massacre na escola como uma “tragédia nacional”.


As reações chegaram de todo o mundo.
O presidente francês François Holland insurgiu-se contra o que chamou "ataque ignóbil" e o primeiro-ministro britânico David Cameron confessou-se "chocado". A Índia, país vizinho e tradicional rival do Paquistão, condenou firmemente o ataque através do primeiro-ministro Narendra Modi, que o considerou "desumano e duma indescritível brutalidade".

Por sua vez, a jovem paquistanesa Malala Yousafzai confessou-se “dilacerada” com este ataque realizado pelos taliban:
“Um ataque atroz e vil. Estou dilacerada com este ato de terrorismo absurdo e impiedoso”, afirmou.

Malala, foi ela própria também vítima dos taliban, quando estes atacaram um autocarro em que seguia, atingindo-a com um tiro na cabeça, numa ação de retaliação pela luta que Malala defende em prol dos direitos à educação das jovens paquistanesas. Esta ação valeu-lhe a conquista do Prémio Nobel da Paz 2014.



Hoje, este evento que ocasionalmente pude acompanhar em direto nos canais televisivos, ensombrou o resto do meu dia…






sábado, dezembro 13, 2014

JOSÉ LUÍS NUNES, FRANCISCO SOUSA TAVARES, JOSÉ PACHECO PEREIRA E BRUNO NOGUEIRA, CRITICAM SEVERAMENTE AS PRAXES...





Em cada ano letivo, este assunto das Praxes faz correr rios de tinta e um rol mais ou menos variado de opiniões. Algumas delas, seguem-se nos vídeos inseridos e no magnífico texto de José Pacheco Pereira:


A ESTUPIDEZ DA PRAXE

Rito de passagem? Mas que passagem? A única coisa que os estudantes transportam do liceu para a universidade é a sua carga de ignorância. A cultura juvenil revê-se num mundo de grosseria e ignorância Se existisse uma colecção de retratos do nosso atraso, a cena da praxe ocorrida em Macedo de Cavaleiros era um deles. Saliente-se, aliás, que é apenas uma cena entre muitas que se repetem por todo o país de Braga a Faro e que esporadicamente são noticiadas, quando há uns estudantes corajosos que as denunciam, ou quando o abuso é intolerável e provoca danos. 

Ninguém, muito menos o ministério, nem os responsáveis pelas escolas, pode alegar desconhecimento.Parece que entre as cenas habituais das praxes aos caloiros, a julgar pela de Macedo de Cavaleiros, existe a prática de pôr os rapazes e as raparigas a quatro, feitos asno, cabra ou carneiro, mais ou menos vestidos, mas, pelo menos neste caso, com a roupa interior por fora, a ter que dizer umas obscenidades e a responder a umas perguntinhas perversas. 

Conhecem-se mil e uma variantes, todas boçais, destas práticas.Desta vez, mais uma vez, a brincadeira correu torta, porque a rapariga seviciada resolveu e bem queixar-se. O mais espantoso foi ver alguns estudantes, dirigentes académicos locais, a justificar o que se tinha passado - provavelmente já tinham estado numa idêntica postura a quatro a fazer de carneiros a balir e gostaram da experiência - e a dividir o mundo entre os a favor da praxe e "antipraxe". Sugeriam que alguém poderia evitar as cenas de humilhação sado-eróticas, com que se entretêm, proclamando-se "antipraxe", o que teria a penalização de serem excluídos das "actividades académicas". Gostaria de saber se dinheiros das instituições universitárias, que vem dos nossos impostos, podem ser canalizados para grupos de estudantes que excluem das actividades financiadas que patrocinam os que se recusam a fazer tristes figuras de asno.Rito de passagem? Mas que passagem? Cada vez mais a única coisa que os estudantes transportam do liceu para a universidade é a sua carga de ignorância. A cultura juvenil revê-se no Quim Barreiros, nas peripécias futebolísticas e no Big Brother, num mundo de grosseria e ignorância em que ler alguma coisa mais do que os jornais desportivos ou a "Caras" é excepcionalíssimo. Aliás, a praxe e as claques futebolísticas partilham muita coisa em comum - a violência latente, o culto pela obscenidade, a demarcação clubística entre "nós" e "eles".Tenho para mim que um dos sinais de degradação do ensino universitário nos últimos anos foi a progressiva introdução da praxe. 

Subitamente, após uma sadia desaparição da praxe nos anos 70, começou-se de novo a ver rapazes e raparigas vestidos de uma imitação de padres de gravata, o chamado "traje académico". Em muitos sítios onde este nunca fora "tradição", inventaram-se novos "trajes", todos eles ridículos e um pouco à moda dos bobos da corte das imagens medievais. Só lhes faltava pôr uns sininhos para parecerem o "coringa" dos baralhos de cartas. A praxe acompanhou a progressiva perda de qualidade do ensino básico e secundário, a crescente diminuição da importância da leitura e da oralidade consistente no ensino, a substituição de critérios de exigência e qualidade pelo mito do ensino "sedutor", em que as crianças "bons selvagens" se tornavam "bons" e menos "selvagens", por uma escola amável e onde não era preciso o esforço. 

A praxe mostra que um dos resultados finais da ideia da escola "soft", das pedagogias não directivas, foi mais o despertar do "selvagem" do que do "bom", para desgosto de Rosseau.A praxe estudantil foi sempre uma marca da mais provinciana universidade portuguesa - Coimbra -e dificilmente se implantou nas universidades de Lisboa e Porto, onde a população estudantil vivia em verdadeiras cidades, com vida própria fora do fechado mundo estudantil. Em Coimbra, uma cidade em grande parte dependente dos estudantes, dominada pela universidade, povoada por uma multidão de gente vinda do interior que aí habitava, vivendo em quartos e casas alugadas, o mundo do Palito Métrico floresceu. Os estudantes praxistas eram activos participantes da boémia da cidade e cultivavam uma cultura de estúrdia e do vinho, sob a suprema autoridade do estudante mais cábula, o "dux veteranorum", que obtinha o lugar na exacta proporção ao número de chumbos que tinha nos exames e aos anos que demorava a acabar o curso. 

A crise de 1969 provocou uma rara união entre os praxistas e os estudantes mais politizados, com o "dux" a apoiar a greve e com a suspensão da praxe pelo "luto académico". Este acto acabou por muitos anos com a praxe em Coimbra e varreu-a das universidades onde era claramente uma importação e uma imitação - Lisboa e Porto. No Porto, tenho no meu currículo de dirigente estudantil ter ajudado activamente a acabar com a ridícula parafernália dos "grelados" e "fitados", com as cartolas e penduricalhos que passeavam pela cidade durante a Queima das Fitas. Fui igualmente o autor anónimo, por razões óbvias, de um escrito com umas teses contra a Queima que circulou abundantemente nas três cidades universitárias. Nele, contrariamente ao que faziam os estudantes do PCP - que aceitavam a praxe, apenas achavam que ela devia ser suspensa por razões de "luto académico" -, combatia a praxe pela mundividência cultural que lhe estava associada, pelo seu conteúdo machista e marialva, pelo seu reaccionarismo estético, pela sua infantilização dos estudantes como seres irresponsáveis, que só serviam para brincadeiras de mau gosto. A Queima era então no Porto uma sucessão de "saraus", entremeados de "rallies", touradas, bênçãos, bailes, culminando num cortejo de carros e piadas que não tinham graça nenhuma e deixavam um rasto de gente bêbada por toda a cidade. Há poucos anos tive ocasião de observar o mesmo espectáculo decadente em Coimbra, só que o vinho tinto era substituído por "shots" e cerveja, não encontrando praticamente um estudante que estivesse sóbrio no dia do fim da Queima. 

Os hábitos da praxe que hoje são um anacronismo insensato remetem para um mundo corporativo medieval, para uma época em que as universidades tinham regimento e polícia e em que os estudantes se defendiam da autoridade dos "lentes", construindo um mundo de regras autónomas que reproduziam, aliás, o ambiente igualmente claustrofóbico da universidade "séria". Mas Coimbra nunca foi Heidelberg e o ambiente fechado, que páginas e páginas de sátira e de crítica já tinham denunciado, pela pena dos escritores século XIX e XX, não favorecia a liberdade de espírito, nem qualquer irreverência. Hoje no século XXI, a praxe é um traço anacrónico que puxa Portugal para um passado de que, mais que tudo, as universidades o deviam libertar.

JOSÉ PACHECO PEREIRA 




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...