quinta-feira, dezembro 15, 2011

A NOVA BAÍA DE LUANDA - "As Minhas Cidades"





Os milhões estão a mudar Angola. A nova frente da Baía de Luanda estará concluída em julho de 2012. Escrever sobre este megaprojeto que envolve megamilhões, é de certo modo uma realização pessoal, dado os diversos laços que me ligam a Angola. Angola continua a crescer, Angola é um dos destinos mais procurados para o investimento, pelas razões económicas mundiais que todos conhecemos.

Baía de Luanda antes da sua remodelação

Este projeto da nova frente da baía de Luanda, será a nova cara de Angola, envolveu um custo de 200 milhões de dólares e já empregou mais de 600 trabalhadores. O futuro está a acontecer à vista de todos: os prazos estipulados estão a ser rigorosamente cumpridos e, com a alegria de todos, os peixes voltam a saltar nas águas agora despoluídas da nova baía.

Até  final de 2011 a parte mais difícil estará feita: o saneamento e despoluição das águas do oceano, assim como o alargamento da orla marítima, com a nova estrada e a zona de passeio e lazer. A conquista do território ao mar que banha a baía de Luanda e o alargamento da marginal ronda os 60 milhões de dólares (USD), cerca de um quarto do custo total oficial estimado para a obra. O valor, aproximado, do investimento privado feito nas três fases da obra é de 200 milhões de dólares, mas alguns especialistas do sector das obras públicas admitem poder vir e ser superior, dada a dimensão e a qualidade do projeto.
Trabalhadores do projeto da remodelação da Baía de Luanda

A obra procura resolver os reais problemas de estrutura de uma boa parte da cidade e não esconder o que se não quer mostrar. Constitui motivo de grande orgulho para toda a equipa técnica, o facto de a maior parte dos materiais utilizados na obra não se tratarem de materiais importados, mas de origem angolana, quando a economia do país ainda depende muito da importação. Este é um projeto público executado por privados, que tem conseguido cumprir os prazos, sem violentar a cidade nem aumentar o caos do trânsito.

O dono da obra é a Sociedade Baía de Luanda (privada). Em 2005 foi criada a Sociedade Waterfront, e à altura o Conselho de Ministros assumiu os direitos de construção/expansão conseguidos ao oceano. Depois da fase inicial de arranque, estudos e planeamento, o projeto entrou em execução em outubro de 2009, depois de uma injeção de capital e nova equipa técnica. Segundo análise internacional, compara-se às frentes marítimas de Barcelona, Bilbau, Lisboa (Parque das Nações) e cidades asiáticas.

Primeiro Ministro de Portugal Passos Coelho
e Presidente da República de Angola, José Eduardo
dos Santos

A estrutura da obra é dividida por três diretores técnicos: gestão, coordenação da fiscalização da obra marítima e fiscalização da obra terrestre.

Os empreiteiros que executam o projeto são a MotaEngil e Soares da Costa (em terra) e a Dredging e a Draiamar (no oceano). Os estudos urbanísticos estiveram a cargo do atelier de arquitetura angolano Costa Lopes, Arquitectos.


Uma das grandes surpresas é o facto de estar prevista a utilização de uma linha de comboio  que ficará escondida ao longo da nova marginal. Um relvado deverá tapar ou camuflar a futura linha de Metro ligeiro, apontado como alternativa a parte do transporte automóvel, em Luanda.

 A relva e as plantas fazem a diferença na paisagem actual da capital angolana, até agora carente de zonas e espaços verdes.

A frente oceânica ficará embelezada com mais de três mil palmeiras que vieram, na sua maioria, de Miami e também do horto existente na barra do rio Kwanza. Num total, serão plantadas na baía, cerca de 3680 palmeiras e acácias.
Aspecto da nova Luanda

Dentro de um ano, a população utente dos 700 mil metros quadrados do total da área pública de intervenção, deverá sentir-se orgulhosa por ser dona de uma obra que, de certeza, irá mudar a imagem de Luanda.

Nessa altura, o importante será gozar o novo espaço e depressa esquecer todo o trabalho que ficou para trás...Mas pelo menos 600 pessoas que ali trabalharam, terão outras memórias, porque trabalharam árdua e duramente, dando tudo pela construção de uma nova cidade e qualidade de vida.







2 comentários:

peonia disse...

O projecto da nova baía de Luanda potencia a sua beleza natural que associo a uma espécie de Rio de Janeiro. Também hei-de ir a Luanda, só não sei quando... Bjs

M.H. R.M. disse...

Seria muito bom poder fazê-lo conjuntamente, já que que a minha vida me obriga a visitar com frequência esta bela cidade que significa muito para mim.
Quem sabe?
Beijos, Peonia, e obrigada pelo comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...