segunda-feira, abril 25, 2016

À NOITINHA, COM MANUEL ALEGRE: "ESPLENDOR DE AGOSTO"





ESPLENDOR DE AGOSTO


Aconteceu o pior: o esquecimento.
Esqueci tudo o que deve ser lembrado
e já não sei se és tu ou se te invento
e se o que resta é só o imaginado.
  
Esqueci o nome o olhar esqueci o rosto
reclinado nas tardes de Setembro.
E já não sei sequer quem foi deposto
e se lembro não sei se és tu que lembro.

Porque tudo esqueci e não esqueci
esplendor dos corpos no azul de Agosto
e aquele não sei quê que havia em ti
e aquele ardor em mim de fogo posto.

Esqueço a lembrar e se te lembro esqueço
e já não sei se és margem ou ainda o centro
de tanto te inventar não te conheço
e quanto mais te esqueço mais te lembro.



MANUEL ALEGRE,
in "Nada está escrito"



1 comentário:

Ana Nunes da mata maio Ribeir disse...

Gostei muito!! Noite serena!! Beijinhos!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...