segunda-feira, março 17, 2014

EDELWEISS - A LENDA












 Edelweiss(Leontopodium alpinum), a mais conhecida e poética flor das montanhas e da neve, é originária das estepes da Ásia Central. É uma pequena flor, com o centro de um amarelo acinzentado, rodeada de pétalas brancas e aveludadas. Floresce de Julho a Setembro.
Esta flor branca é uma planta protegida por lei na Áustria e Suiça.  Surge nas moedas de euro austríacas (0,02 €), é considerada o “supremo talismã do amor” e os generais suíços exibem-na em vez de estrelas, para assinalar a sua graduação.

Historicamente,  Edelweiss foi usada como símbolo do movimento jovem anti-nazista chamado The Edelweiss Pirates, nos anos 1930.
Mais tarde, em 1959, foi criado nos Estados Unidos o musical The Sound of Music (conhecido no Brasil como A Noviça Rebelde), que conta a história da nobre família Von Trapp no período de avanço do III Reich. As canções são de Richard Rodgers e as letras de Oscar Hammerstein II – uma das músicas da peça é a Edelweiss.

Mas acerca desta flor, contam-se lendas…

Conta-se que há milhares e milhares de anos – quem poderia contá-los? – surgiu uma montanha num planalto coberto de neve.
Todas as suas vertentes eram escarpas cobertas de neve e gelo, como se fosse uma cobertura rendada. E lá no cimo da montanha, num píncaro inacessível de brancuras imaculadas, encontrava-se a Dama Branca sobre o seu trono de gelo. Vítima de um sortilégio, ali ficara prisioneira das neves eternas, até que um ser humano chegasse até ela e lhe beijasse a mão.

A aventura era considerada impossível porque, ainda que algum audacioso pudesse escalar a alta e íngreme montanha, pequenos gnomos armados de flechas trespassá-lo-iam.
No entanto, um dia, um belo e jovem príncipe quis tentar a escalada perigosa. Chamava-se Dourado. Insensível às súplicas e lágrimas do seu povo, partiu.

Ao atingir o planalto, despediu-se dos seus soldados e começou a subir a montanha.
Quando estava prestes a atingir o pico onde se encontrava a Dama Branca, uma enorme massa do rochedo desprendeu-se e arrastou-o. A Dama Branca que ansiosa e trémula tinha seguido os seus esforços, desatou a chorar quando viu o seu príncipe precipitar-se no abismo.
E cada uma das suas lágrimas, ao tocarem a neve, transformava-se numa estranha flor, desconhecida até ali. As pétalas dispostas em auréola em volta de um pequeno chapéu de flores amarelo acinzentado, eram brancas e como que cobertas de uma delicada penugem para as proteger do frio.

Pareciam recortadas num tecido suave e irreal, duma beleza delicadíssima, mas severa. Eram os filhos da dor e do rochedo. O vento, acariciando estas flores, levou para longe sementes que foram cair sobre montanhas vizinhas e dessas, passaram depois de novas flores, para outras montanhas… E foi assim que de montanha em montanha chegaram aos Alpes e lembram para sempre a Dama Branca e o seu príncipe Dourado.
Por isso muitos apaixonados arriscaram-se, escalando os alpes em busca da flor do amor eterno.
         
Os que retornaram com um ramo de Edelweiss provaram que eram valentes e merecedores do amor de sua amada. Porém,  muitos não voltaram …








2 comentários:

Claudia disse...

Não conhecia essa lenda, muito interessante e bela a mensagem que ela traz.Procuro sempre me aprofundar nos assuntos relacionados ao terrível nazismo, procurando talvez compreender o motivo de tanta barbárie.
Abraços!
Claudia

M.H. R.M. disse...

Obrigada,Claudia. Esta lenda faz parte da cultura austríaca, e refere-se também a esse triste período da sua história. Beijo grande.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...