quinta-feira, abril 09, 2015

SEBASTIÃO SALGADO REGRESSA A LISBOA E INAUGURA A SUA EXPOSIÇÃO "GÉNESIS" - De 10 de Abril a 2 de Agosto de 2015






"Se não se gosta de esperar, não se pode ser fotógrafo. 
 É verdade, somos como os caçadores que passam muito tempo à espreita da caça, à espera que ela saia do seu esconderijo."
Sebastião Salgado



Sebastião Salgado, um dos mais reconhecidos e premiados fotógrafos brasileiros da actualidade, regressa a Lisboa para apresentar Génesis, o seu mais recente trabalho.

Numa parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa, a EGEAC e a Terra Esplêndida, Génesis abre ao público no Torreão Nascente da Cordoaria Nacional no dia 10 de Abril, onde estará patente até 2 de Agosto de 2015.
Dedicada aos últimos redutos naturais e humanos de um planeta ameaçado, esta exposição é composta por mais de duas centenas de fotografias, fruto de 8 anos de trabalho e de mais de 30 viagens por diversas partes do globo.

No seu estilo muito característico, que lhe valeu a admiração do público, recorrendo a imagens a preto e branco de grande formato, com enorme impacto e beleza, Génesis constitui simultaneamente uma sentida homenagem ao planeta Terra e um alerta para a urgente necessidade de o preservar.

As cinco secções da exposição Génesis:

Sul do Planeta
Conta a história da Antártida, das suas paisagens geladas e das suas zonas costeiras, com a sua perseverante fauna, pinguins, leões-marinhos e baleias, nomeadamente as fotografadas no seu território de reprodução, na Península Valdés. 
Depois as ilhas Geórgia do Sul, as Malvinas, o arquipélago Diego Ramírez e as ilhas Sanduíche do Sul, onde numerosas espécies de pinguins, albatrozes, petreís gigantes e cormorões fazem a sua vida.

África
Oferece uma enorme variedade de paisagens, desde a vida selvagem do Delta do Okavango, no Botswana, aos gorilas do Parque Nacional de Virunga na fronteira da República Democrática do Congo com o Ruanda, Congo e Uganda; dos povos Himba da Namíbia e das tribos Dinkas do Sudão, ao povo San do Deserto do Kalahari no Botswana; das tribos do vale de Omo no sul da Etiópia, às antigas comunidades cristãs do norte da Etiópia.

A África desvela uma notável panóplia de desertos; as suas diferentes tonalidades, as suas texturas do arenoso ao rochoso; alguns, planos como oceanos, outros, interrompidos por montanhas áridas. Ainda assim, em algumas paisagens da Líbia e da Algéria, para além de cactos há também sinais de vida e arte rupestre datada de há milhares de anos.             

Santuários
Traz-nos as inigualáveis paisagens vulcânicas e fauna das ilhas Galápagos e inclui as ancestrais populações da Nova Guiné e da Papua Ocidental, os Mentawai da ilha Siberut da província indonésia de Sumatra, assim como as paisagens, vida selvagem e vegetação dos diversos ecossistemas de Madagáscar.       

Terras a Norte
Mostra as paisagens do Alasca e do planalto do Colorado, nos EUA, paisagens do Parque Nacional Kluane e vida selvagem na ilha Baffin, no Canadá. O norte da Rússia, incluindo o território de reprodução do urso polar na ilha de Wrangel, assim como as populações indígenas do norte da Sibéria e da Península de Kamchatka.

Amazónia e Pantanal
O Amazonas e os seus afluentes, vistos do ar, assemelham-se a uma gigante árvore da vida, com braços e mãos estendidos do coração do Brasil até aos países vizinhos. A norte regista os Tepuis Venezuelanos, a mais antiga formação geológica do planeta, assim como a vida selvagem do Pantanal em Mato Grosso, no Brasil.

Algumas das fotografias presentes na Cordoaria Nacional:


Há ainda imagens da tribo índia Zo'é, descoberta apenas há duas décadas, e das tribos mais assimiladas da bacia do Alto Xingu, também no Brasil.

Pinguins-de-barbicha (Pygoscelis antarcticus) sobre um iceberg localizado entre as ilhas Zavadovski e Visokoi. Ilhas Sandwich do Sul. 2009.

Perseguidos por caçadores furtivos na Zâmbia, os elefantes (Loxodonta africana) têm medo dos homens e dos veículos, e geralmente, entram rapidamente no mato,assustados. Parque Nacional de Kafue, Zâmbia. 2010.

As mulheres das tribos Mursi e Surma são das última s mulheres do mundo a usar discos nos lábios. Dargui, povoação mursi no Parque Nacional de Mago, perto de Jinka, Etiópia. 2007 

Iceberg entre a ilha Paulet e as ilhas Shetland do Sul, deslocando-se no mar de Weddell. Península Antártica. 2005 





SEBASTIÃO SALGADO:

Sebastião Salgado nasceu em Minas Gerais, em 1944. Durante a ditadura militar no Brasil emigrou para Paris com Lélia Wanik Salgado, onde acabou por descobrir a sua verdadeira vocação, a fotografia. Nas suas viagens para África, enquanto trabalhava para a Organização Internacional de Café, começou a fotografar, sem intenções profissionais, com a máquina que Lélia havia adquirido para o seu curso de arquitectura, descobrindo assim a sua paixão pelo fotojornalismo.


Salgado desde cedo trabalhou para importantes agências de fotografia (Sygma, Gamma, Contact e Magnum) e viu o seu trabalho publicado em algumas das mais prestigiadas publicações mundiais. O seu primeiro livro, “Outras Américas”, foi editado em 1986. No mesmo ano, lançou “Sahel: Homem em Pânico”, sobre a seca no Norte de África. “Trabalhadores”, talvez a sua obra mais conhecida, é publicada em 1993. 

Em 1997 é a vez de “Terra”, sobre a luta dos sem-terra no Brasil. Em 2000, Salgado lança “Êxodos”, focando-se no fenómeno global das migrações. “África”, o seu continente de eleição, é o tema de uma publicação em 2007. De 2004 a 2012, Salgado viajou por 32 regiões remotas, e por vezes inóspitas, para criar o seu último trabalho, “Génesis”.

Hoje, Sebastião Salgado é embaixador da Boa Vontade da UNICEF e membro honorário da Academia de Artes e Ciências dos EUA. As suas obras fazem parte de colecções dos mais conhecidos museus, um pouco por todo o mundo. Em 1994 criou com Lélia Wanick Salgado a Amazonas Images, que se ocupa exclusivamente das suas fotografias.

Cordoaria Nacional - Lisboa

Saiba mais em:
http://www.expogenesis.pt/http://www.expogenesis.pt/








2 comentários:

Claudia disse...

Como vai Maria Haydee? Espero que esteja bem!
Parabéns pela bela postagem recheada com imagens tão expressivas do gênio da fotografia.

Um grande abraço!
Claudia Silva Andrade

M.H. R.M. disse...

Obrigada, Claudia. Vamos indo. Parabéns pelo novo grau académico. Sebastião Salgado, agora entre nós, é o fotojornalista que mais admiro.

Beijo sempre muito amigo!
Maria Haydée Nogueira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...