quinta-feira, julho 12, 2012

MURALHAS DE ELVAS (PORTUGAL) - Património Mundial (UNESCO)










As Muralhas de Elvas constituem agora o 14.º sítio de Portugal considerado Património Material da Humanidade pela UNESCO, e a decisão deste organismo da ONU foi divulgada durante a 36.ª sessão do Comité do Património Mundial, que se reuniu em São Petersburgo, até ao passado dia 6 de julho.
O património classificado engloba o conjunto de três muralhas medievais, uma muralha do século XVII, o Forte da Graça, do século XVIII, o Forte de Santa Luzia, do século XVII, três fortins do século XIX (São Mamede, São Pedro e São Domingos), o Aqueduto da Amoreira e ainda o centro histórico. Os alentejanos estão pois, de parabéns, e Portugal também.

Muralhas de Elvas

As Muralhas de Elvas que, segundo o Comité do Património Mundial, constituem o maior conjunto de fortalezas abaluartadas do mundo, com um perímetro que está a ser definido, mas que é superior a dez quilómetros, têm forma de polígono irregular com 12 frentes, 7 baluartes e 4 meios-baluartes. Tiveram o início da sua construção no reinado do rei Dom Sancho II, e efetuadas entre os séculos XVII e XIX. Ocupam uma área de 300 hectares e um perímetro que vai dos oito aos dez quilómetros, como já foi dito.

No interior das muralhas, a cidade inclui grandes casernas e outras construções militares, bem como igrejas e mosteiros. Enquanto Elvas conserva vestígios que remontam ao século X, as suas fortificações datam da época da restauração da independência de Portugal, em 1640.

Forte de Nossa Senhora da Graça

As fortificações foram projetadas pelo jesuíta holandês padre João Picásio Cosmander e representam o melhor exemplo de fortificações militares da escola holandesa que sobreviveram até aos dias de hoje. No complexo, está incluído o Aqueduto da Amoreira, que tinha o objetivo de permitir, à fortificação, resistir aos cercos prolongados.

O Forte de Nossa Senhora da Graça, do século XVIII, outra obra-prima da arquitetura militar europeia, tal como o aqueduto, classificada como Património Nacional em 1910, tem o traço do Conde Lippe Schaumburg e foi iniciada em 1763, por ordem do rei Dom José I, para completar o sistema defensivo de Elvas. Situada a dois quilómetros a norte da cidade, é considerada, de acordo com a DGEMN - Direção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais -, "uma das fortalezas abaluartadas mais poderosas existentes no mundo e das mais originais pela sua concepção e implantação".


Cidade de Elvas  e as suas Muralhas, Património Material da Humanidade

Fortemente marcada pela sua função militar enquanto zona fronteira, Elvas - cuja origem poderá ser anterior ao período romano - integrou definitivamente o território português em 1229, no reinado do rei Dom Sancho II.

Assim, as Muralhas de Elvas fazem parte do sítio Cidade Fronteiriça e de Guarnição de Elvas e as suas Fortificações, Património Mundial da UNESCO











2 comentários:

Claudia disse...

Olhando para as belas imagens neste post, só aumenta minha vontade de conhecer esse mais belo país, parabéns! Abraços do Brasil.

M.H. R.M. disse...

Obrigada, Claudia. De facto o meu país é lindo, quanto mais se conhece, mais surpreende...
Beijo amigo de Portugal.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...