sábado, fevereiro 19, 2011

GABRIELLE CHANEL (1883-1971) - Uma Mulher que amou a Moda e a Vida







Nestes tempos cinzentos que atravessamos e porque também decorrem as diversas semanas da Moda em cidades como Paris, Milão, Nova Iorque, Tóquio, achei pertinente falar de algo mais colorido e alegre como a Moda, na figura de uma das mais representativas estilistas da sua história: Gabrielle Chanel, também conhecida como Coco Chanel.


Logotipo Chanel


Gabrielle Chanel, simplesmente Chanel, nasceu em 19 de Agosto de 1883, em Saumur, França. Chanel, com a sua marca, criou desenhos intemporais que ainda hoje são populares, como os seus vestidos pretos e e os seus tailleurs, tão característicos como elegantes.


Chanel tornou-se num ícone de uma moda simples mas sofisticada, combinada com acessórios grandes, como os colares de pérolas de múltiplas voltas. Uma vez, Chanel disse: "o luxo deve ser confortável, senão não é luxo".


Há quem afirme que o nome vem de uma das músicas que ela cantou e que a própria Chanel disse ser uma "encurtada versão de cocotte", palavra francesa para designar "mulher  mantida".

Primeiro Perfume Chanel

Com cerca de 20 anos de idade, Chanel envolveu-se numa relação com Etienne Balsan, que se ofereceu para a ajudar a montar um negócio de chapéus, em Paris. Mas Chanel rapidamente o trocou por um dos seus amigos, o milionário Arthur "Boy" Chapel. Estes dois homens foram fundamentais para a futura empresa de moda Chanel.


Coco Chanel, usando um dos seus tailleurs
Abrindo a sua primeira loja em Paris, na Rue de Cambon, em 1910, Chanel começou a vender chapéus. Mas em curto espaço de tempo abriu outras lojas em Deauville e Biarritz, onde começou a comercializar as sua roupas. O seu primeiro vestido de sucesso, teve como inspiração, segundo a própria  Chanel, uma camisa velha que Chanel usava em Deauville, devido ao frio que ali se fazia sentir.

Na década de 1920, Chanel expandiu o negócio para novos patamares de prosperidade. Foi nesta altura que lançou o seu primeiro perfume, Chanel n.º5. "Perfume é o invisível, inesquecível, último acessório de moda...que anuncia a sua chegada e prolonga a sua partida", dizia Chanel.



Coco Chanel e Igor Stravinsky
Foi também nesta década que Chanel iniciou um romance intenso e longo com o rico duque de Westminster que conheceu a bordo do seu iate, por volta de 1923.

Como resposta à proposta de casamento do duque, Chanel terá dito "Houve várias duquesas de Westminster, mas há apenas uma Chanel!".

Em 1925, ela apresentou o lendário tailleur Chanel, agora com uma jaqueta com gola e uma saia, bem sofisticado. Chanel ajudou as mulheres a dizer adeus ao espartilho e a outras peças de vestuário, que considerou incómodas. Modificou o conceito de luto da cor preta, para a usar como cor de cerimónia nos seus vestidos de toilette. Além da moda, Chanel tornou-se também figura do mundo literário e artístico de Paris: desenhou figurinos para os Ballets Russes e de Jean Cocteau, que figurou entre os seus amigos, ao lado de Pablo Picasso. Por esta altura, Chanel teve, também, um breve e escaldante relacionamento com o compositor Igor Stravinsky.



Chanel e o seu vestido preto
A depressão económica internacional da década de 1930 teve um impacto negativo sobre a sua empresa, mas foi a eclosão da II Guerra Mundial que levou Gabrielle Chanel a fechar o seu negócio, a demitir trabalhadores e a fechar as suas lojas.


Durante a ocupação alemã da França, Chanel envolveu-se com um oficial militar alemão, Hans Gunther von Dincklage, com o qual, com permissão especial, viveu num apartamento do Hotel Ritz. Com o fim da guerra, Chanel chegou a ser interrogada por causa do seu relacionamento com von Dinklage, mas não foi acusada de colaboracionista.

Mesmo assim, mesmo não acusada, Chanel sofreu no tribunal da opinião pública. O seu relacionamento com um oficial nazi foi considerado, por alguns, como uma traição ao seu país. Chanel deixou Paris, para passar alguns anos na Suíça, como que em exílio.

Carteiras Chanel







Na idade de 70 anos, Chanel fez um retorno triunfal ao mundo da moda. Primeiro recebeu críticas contundentes, mas a sua moda feminina e de fácil montagem, conquistou clientes em todo o mundo.


Coco Chanel morreu em 10 de Janeiro de 1971, no seu apartamento do Hotel Ritz. Nunca se casou, depois de ter dito "Eu nunca quis pesar a um homem, mais do que um pássaro".


Pouco mais do que uma década após a sua morte, o estilista Karl Lagerfeld assumiu as rédeas da empresa, para continuar o legado Chanel, cuja história de vida ainda hoje continua a cativar a tenção dos romancistas, dos cineastas e guionistas da Broadway, do mundo inteiro.












4 comentários:

peonia disse...

Mensagem perfeita! Desconhecia alguns pormenores da vida de Chanel...
Creio que será sempre recordada como símbolo da feminilidade e elegância.

Maria Haydée Nogueira disse...

Não tenha dúvida...
Chanel foi exactamente feminina e elegante.
Um beijo e obrigada, mais uma vez, pelo gentil comentário.

luzi disse...

Amo Chanel e toda sua história e influência na moda,foi decepcionante descobrir que ela não foi a primeira estilista a desenvolver um perfume e sim Paul Poiret.Fiz até post sobre isso,ela era muito boa de marketing mesmo porque o frisson foi tão grande que atribui-se a ela a primeira assinatura de uma estilista em um perfume rsrs.

Bjo,

Luzi
www.desapatilha.com.br

Maria Haydée Nogueira disse...

Obrigada pelo comentário e pela informação que me proporcionou sobre o perfume n.º5 da Chanel. De facto, estava convencida de que tinha sido a 1.ª estilista a lançar um perfume...Irei proceder à devida
correcção!
Bjo, Luci.
M. Haydée

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...