quarta-feira, dezembro 07, 2016

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, PADROEIRA DE PORTUGAL E SENHORA DO MUNDO, ABENÇOAI-NOS - 8 de Dezembro de 2016




A Imaculada Conceição é segundo o dogma católico, a concepção da Virgem Maria sem mancha (do latim "macula"). O dogma diz que, desde o primeiro instante da sua existência, a Virgem Maria foi preservada por Deus, da falta da graça santificante que aflige a humanidade, porque ela estava cheia da graça divina. Também professa que a Virgem Maria viveu uma vida completamente livre de pecado.

Papa Pio IX

A festa da Imaculada Conceição, comemorada em 8 de dezembro, foi definida como uma festa universal em 1476, pelo Papa Sisto IV.
Em 8 de Dezembro de 1854, a Imaculada Conceição foi solenemente definida como dogma pelo Papa Pio IX, na sua bula "Ineffabilis Deus" e em 31 de Março de 1876, Pio IX enriqueceu ainda este dogma com 300 dias de indulgência cada vez que recitado.

A Igreja Católica considera que o dogma é apoiado pela Bíblia, bem como pelos Padres da Igreja, como Irineu de Lyon e Ambrósio de Milão. Uma vez que Jesus encarnou no ventre da Virgem Maria, era necessário que ela estivesse completamente livre de pecado para poder gerar o seu filho.

Em Portugal, deve-se ao rei D. João IV o facto de Nossa Senhora da Conceição ter sido proclamada padroeira de Portugal, por proposta sua. Durante as Cortes reunidas em Lisboa desde 28 de Dezembro de 1645 até 16 de Março de 1646, o rei afirmou "que a Virgem Maria foi concebida sem pecado original" e comprometeu-se a doar, em seu nome, em nome de seu filho e dos seus sucessores, à Santa Casa da Conceição, em Vila Viçosa, "cinquenta cruzados de ouro em  cada ano", como sinal de tributo e vassalagem.

O acto da proclamação de Nossa Senhora da Conceição como Padroeira de Portugal, efectuado pelo monarca com a maior solenidade em 25 de Março de 1646, alargou-se a todo o país, com o povo, à noite, a entoar cânticos de júbilo pelas ruas, para celebrar a Conceição Imaculada da Virgem, ou mais precisamente a Maternidade Divina de Maria.

Rei D.João IV de Portugal


Assim, Nossa Senhora tornou-se a verdadeira soberana de Portugal, não voltando, por isso, desde esta altura, nenhum dos nossos reis a ostentar a coroa, direito que passou a pertencer apenas à Excelsa  Rainha, Mãe de Deus.

Em 1648 D. João IV manda cunhar moedas de ouro e de prata, tendo numa das faces a imagem da Imaculada Conceição com a legenda "Tutelaris Regni" - Padroeira do Reino. Em 1654, ordena que sejam postas em todas as portas e entradas das cidades, vilas e lugares do reino, pedras lavradas com uma inscrição alusiva à Imaculada Conceição. Algumas destas lápides ainda continuam a existir em alguns locais.

Outros reis, seus sucessores, continuaram a tradição deste culto de homenagem a Nossa Senhora, como D. João V que, em 1917, recomendou a a todas as igrejas a celebração anual com pompa e solenidade da Festa da Imaculada Conceição, enquanto D. João VI emite um decreto criando a Ordem Militar de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa e a Cabeça da Ordem (lugar principal) na sua Sua Real Capela.

D. Luís I oficializa, em 1854, a bula "Ineffabilis Deus" do Papa Pio IX, e um ano mais tarde comemora este facto com solenes festividades, assinalando assim o primeiro ano da comunicação ao Mundo da Definição do Dogma.

Feriado nacional e dia santo de guarda, a data de 8 de Dezembro constitui-se como um dia de festa religiosa.  Durante muitos anos foi associada à celebração mundial do Dia da Mãe, actualmente comemorado no primeiro domingo do mês de Maio.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição em Vila Viçosa


Saudemos Maria, neste Seu Dia. 




Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...